fbpx Quer monitorar a qualidade do combustível e o consumo do seu carro? Baixe a planilha do ICL e confira algumas dicas ao encher o tanque - Instituto Combustível Legal
Motor

Quer monitorar a qualidade do combustível e o consumo do seu carro? Baixe a planilha do ICL e confira algumas dicas ao encher o tanque

Publicado em 24/06/2022 por Jean Souza

Que tal usar uma planilha para controlar o consumo de combustível do seu carro? Pensando nisso, o Instituto Combustível Legal (ICL) criou um arquivo para baixar no seu computador que pode te ajudar a observar não só a autonomia do seu veículo, mas também se você está abastecendo com produto de qualidade e na quantidade exata.

A planilha contém os seguintes campos para preenchimento: nome do posto, data do abastecimento, quilometragem (inicial e final), tipo de combustível, condições de tráfego, preço do litro e quantidade abastecida.

Ao preenchê-los, o usuário pode acompanhar os somatórios gerados automaticamente para os valores de abastecimento, de litros abastecidos e, também, o valor médio por litro.

Baixe aqui sua planilha!

Mas atenção a alguns pontos importantes: os resultados da planilha podem variar, dependendo de como se dirige, e das condições do trânsito.

Para entender melhor o comportamento desses dados, convidamos o especialista Gilberto Pose, engenheiro e coordenador técnico de combustíveis da Raízen, para explicar como usar o material.

Para esse tipo de arquivo, Pose ressalta que um ponto-chave e fundamental para ter um bom monitoramento: completar o tanque.

Além disso, é preciso manter sempre um padrão de abastecimento:

  • Reabastecer nos mesmos postos (no máximo três diferentes)
  • De preferência, abastecer em locais planos
  • Atenção ao modo como os frentistas executam o serviço
  • Complete o tanque até que o automático da bomba dispare “click”

Outras dicas importantes:

  • Considerar a quilometragem que o carro faz por litro, indicada no manual do proprietário. Se um veículo faz 10km/L e sua viagem será de 300km, então a expectativa é gastar 30 litros de combustível. Essa estimativa é importante para ver se bate com os dados da planilha, e ajuda na checagem da posição do ponteiro ao final da viagem. Ele voltou para a posição que estava antes?
  • É importante observar variações muito grandes de consumo entre trajetos parecidos. Baixo rendimento pode sugerir uso de combustível de qualidade duvidosa ou adulterado, além de uma possível fraude de quantidade.
  • Anotar o tipo de ambiente ajuda, pois o modo de dirigir em cada estrada tem influência sobre o consumo. Trânsito engarrafado é um vilão e faz o motor beber mais
  • Calibrar os pneus a cada quinze dias, conforme orientam os manuais
  • Não ficar acelerando no semáforo/farol

Evitar ‘chorinho’ e observar a espuma no tanque

 Uma dica do engenheiro é pedir ao frentista para colocar o gatilho da bomba no automático e no primeiro entalhe/degrau, de forma que a lâmina trave a bomba para fazer o abastecimento. Assim, o bico fica aberto, enchendo o tanque, “e o frentista vai fazer outra coisa, calibrar pneu, passar uma água no vidro”, lembra o especialista.

De acordo com Pose, essa é uma forma de deixar a bomba com velocidade de vazão mais baixa, evitando a formação de espuma dentro do tanque.

“Quando a espuma se forma, ela toca a ponta do bico da bomba e desarma o gatilho. Se a espuma se forma muito rápido, coloco menos produto dentro do tanque e isso afeta a minha conta”, diz.

Seguindo essa receita, ele explica que não é preciso aceitar o “chorinho” que alguns frentistas oferecem para completar o tanque, pois o próprio abastecimento sem formação de muita espuma já vai enche-lo da forma adequada. “Isso me dá uma certeza maior de que minha conta está sempre mais redondinha e mais correta”, conclui.

Leia também: Carro com dez anos de uso: confira checklist para fazer seu veículo consumir menos combustível

Abastecimento com diesel

Se o abastecimento for com diesel, o engenheiro afirma que a atenção deve ser redobrada. “O óleo diesel forma muito mais espuma que a gasolina durante o abastecimento. Diesel aditivado forma menos espuma”, explica.

“Quando se vê um frentista completando o tanque de um caminhão, você observa que ele fica sempre perto… ele para de abastecer para a espuma se dissipar dentro do tanque. Depois põe mais um pouco e a espuma volta a aparecer no gargalo. Se fizer como no outro combustível, vai derramar. E o que derrama depois que passou pelo bico da bomba é combustível que o cliente paga”, afirma.

Qualidade do combustível

Se você costuma sempre abastecer nos mesmos postos, saberá, com o uso da planilha do ICL, o consumo médio do seu veículo. Qualquer variação de consumo fora o habitual, é algo que deve se analisar bem.

Segundo o diretor do ICL, Carlo Faccio, uma prática negativa é se basear apenas no preço na hora de abastecer, principalmente em promoções muito sedutoras. Preço baixo demais, fora da média do mercado, pode ser sinônimo de irregularidade do produto. Portanto, uma dica é adotar postos de confiança e de marcas conhecidas para não cair em golpes, como a bomba fraudada, a venda de gasolina adulterada e produtos misturados com solventes, e até mesmo metanol.

Caso desconfie que foi vítima de fraude, ligue para a Agência Nacional do Petróleo -ANP (0800-970-0267), ou para o Procon ou Inmetro de sua região. O site do ICL também possui uma seção voltada para facilitar a sua denúncia.

Leia também: