fbpx Diesel na gasolina: a mais recente fake news nas redes sociais pode te sugerir um belo prejuízo - Instituto Combustível Legal
Motor

Diesel na gasolina: a mais recente fake news nas redes sociais pode te sugerir um belo prejuízo

Publicado em 10/09/2021 por Marcellus Leitão

Acrescentar óleo diesel à gasolina para limpar os bicos injetores e dar maior potência ao motor. Certamente, você já deve ter visto vários “especialistas” sugerirem este tipo de procedimento, que consiste, basicamente, em abastecer 10 ml de diesel a cada litro de gasolina… Por favor, só lhe peço uma coisa: não faça isso!

Houve uma época em que se recomendavam ao consumidor coisas diversas e tão exóticas quanto essa que você acaba de ler para promover “melhorias” ao motor. Para se ter uma ideia, nos meus mais de 30 anos de experiência no mundo automotivo, já ouvi coisas que beiram o absurdo, como naftalina no tanque, éter e até óleo de rícino para “purgar” e limpar o motor.

Rabo de galo

Uma iniciativa que foi possível com o gerenciamento eletrônico foi o chamado “rabo de galo”, que consiste no acréscimo de um pouco de etanol no tanque de carros a gasolina. Essa ideia gerou pesquisas e o nascimento do motor flex que você conhece. Fora isso, inventar e fugir do projeto é sempre perigoso, lembre-se disso!

Só para se ter uma ideia de um caso extremo, conto a história de um acidente com um avião de pequeno porte, que caiu ao decolar do aeroporto de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. O dono deste avião, um Cirrus, que carrega até paraquedas para a aeronave, comandou o abastecimento com querosene de aviação, o QAV. Mas sua aeronave, com motor a pistões, tem projeto para o uso de gasolina de aviação, a gasolina verde de alta octanagem.

Após a decolagem, o motor “fumou”, fundiu e houve o acidente. Isso exemplifica, de maneira extrema, bom lembrar, o quanto invenções como esta podem danificar o motor do seu veículo.

O perigo de utilizar diesel nos motores a gasolina

De volta ao diesel, este é um combustível mais pesado que a gasolina. Obtido antes dela no mesmo processo de refino do petróleo que chega à refinaria, o diesel tem mais hidrocarbonetos pesados e cetano, o que eleva a autodetonação do combustível no motor, a popular “batida de pino”, e compromete a durabilidade de peças móveis.

Pode furar, ou derreter a cabeça do cilindro, o que resulta em reparo de alto custo. O que você pode usar no seu tanque é a gasolina aditivada, que tem detergentes e dispersantes balanceados para a limpeza do motor. E o mais importante: foram testados para isso.

Você pode experimentar ainda a gasolina premium, com preço e octanagem mais altos, entretanto, a maioria dos motores não aproveitará a plenitude da energia contida na gasolina premium, destinada a importados e esportivos de alto desempenho. Nesse caso, em termos de mistura, você já tem 25% de álcool anidro no seu tanque, um antidetonante de origem vegetal que é ambientalmente mais aceitável do que o chumbo tetraetila, usado no passado no Brasil e até hoje em alguns países.

Apesar de elevar o consumo do seu carro, o bom e velho etanol entrega maior potência aos motores flex. É o famoso “rabo de galo” elevado à galeria das grandes invenções genuinamente brasileiras.

Então, fica aqui uma dica valiosa quando o assunto é o seu veículo e as melhorias que venha a proporcionar a ele: inventar moda pode sair mais caro do que você pensa!

Até a próxima!

Marcellus Leitão é jornalista especializado em automóveis, já tendo passado por importantes veículos da imprensa nacional.

Leia também: