fbpx Chegada da estação mais fria do ano requer cuidados com o veículo. Veja lista do que fazer! - Instituto Combustível Legal
Motor

Chegada da estação mais fria do ano requer cuidados com o veículo. Veja lista do que fazer!

Publicado em 22/07/2022 por Pedro Medeiros

Desde o final de junho, nosso hemisfério entrou no período de inverno. Ainda que a estação do ano não seja tão severa como em outros lugares, o frio também faz as temperaturas caírem consideravelmente por aqui. Mais ao sul do país, por exemplo, alguns lugares chegam a registrar temperaturas negativas, com fortes geadas e até neve.

Pensando nisso, você, apaixonado por carro, pode se perguntar o que fazer para que seu veículo não sofra durante esses meses. A seguir, listamos algumas atitudes que vão deixar seu carro protegido neste inverno.

Atenção na hora de dar a partida

Eduardo Alcazar, Analista Sênior de Produtos e Marcas da Vibra, comenta que, pensando especificamente nos motores a gasolina no inverno brasileiro, os desafios e preocupações dos motoristas são relativamente pequenos (principalmente, se comparados à realidade de países de clima mais temperado).

“Aqui no Brasil, os antigos carros a álcool, ou alguns flex de gerações mais antigas [ao utilizar etanol], talvez apresentem alguma dificuldade para partida a frio devido às características de volatilidade mais baixa [desse tipo de combustível] em relação à gasolina”, explica o especialista.

Ele lembra que em alguns desses veículos, é possível encontrar um tanque auxiliar de combustível, localizado no compartimento do motor, que é usado especificamente para ajudar nas partidas em dias mais frios. “Se esse tanque estiver com uma gasolina já degradada devido ao longo tempo sem uso, os eventuais resíduos podem trazer sérios problemas ao funcionamento do motor. Essa é uma preocupação bem relevante”, alerta.

Então, nesses casos, Alcazar aconselha os motoristas a garantirem que a gasolina utilizada, especialmente nesse tanquinho, esteja sempre em boas condições, sendo recomendado abastecê-lo com uma gasolina mais estável e de maior durabilidade.

“Os veículos flex mais novos, felizmente, já possuem recursos tecnológicos que dispensaram, com muitas vantagens, o uso desse tanque auxiliar de partida a frio. É o caso do pré-aquecimento, que utiliza um sistema que aquece as linhas de combustível com o intuito de que o etanol seja mantido em temperaturas que permitam a correta nebulização do combustível, evitando, assim, problemas de partida e dispensando o uso do tanque auxiliar”, explica o analista sênior da Vibra.

Faça uma revisão nas luzes do carro

No inverno, é comum ter neblinas nas ruas e nas estradas, sobretudo nas primeiras horas da manhã, o que pode representar riscos por causa da baixa visibilidade. Portanto, veja se toda a parte de iluminação está funcionando plenamente, já que elas são indispensáveis para enxergar a rodovia e alertar os demais condutores da presença do seu veículo.

Bateria e frio não combinam

A bateria tem grandes chances de ter queda de rendimento no frio, pois as baixas temperaturas comprometem as reações químicas no seu interior, dificultando a geração de energia.

Portanto, a recomendação é fazer inspeções regulares e seguir o cronograma de revisões para garantir o bom desempenho dessa peça tão importante. Evite, por exemplo, dar partida com luzes e acessórios, como rádio, ligados para poupar energia. Procure um eletricista e faça um teste sobre as condições da bateria do seu carro no inverno: é uma forma de evitar paradas indesejadas.

O limpador de para-brisa merece atenção

A equação borracha sobre temperatura baixa e exposição ao sol tem ressecamento como resultado. E palhetas ressecadas, além de fazerem barulho, não limpam o para-brisa e riscam o vidro. A recomendação é trocá-las sempre que notar vibrações, ou falta de eficiência na limpeza do vidro. Importante também manter o reservatório de água do limpador sempre cheio.

Atenção aos pneus!

Pneu é sempre a mesma história: tanto o frio quanto o calor podem mudar a pressão dentro deles. É muito importante ficar atento quanto à calibragem para evitar acidentes que podem ser graves.

Além da calibragem, também é bom ter cuidado quanto ao estado de conservação. Durante uma neblina, ou nas localidades mais ao sul do país, onde se formam pequenas camadas de gelo nas estradas no inverno, é sempre possível que haja a necessidade de uma freada brusca. Logo, é essencial que os pneus estejam em bom estado para evitar que não haja uma derrapagem.

Revise o seu sistema de ar

Uma situação clássica dessa época é o motorista e os passageiros adoecerem após utilizar o aquecedor. Isso ocorre porque, na maior parte do ano, as pessoas não ligam esse sistema. Afinal, não precisamos do recurso, visto que o Brasil é um país, majoritariamente, quente. Mas durante o inverno é comum a temperatura despencar, especialmente no Sul e em algumas áreas do Sudeste.

Nesse período, lembramos de acionar o aquecedor que ficou parado há muito tempo. Acontece que, no tempo de inatividade, ele acumulou fungos, bactérias e poeira, que podem transmitir doenças respiratórias aos ocupantes da cabine. Portanto, assim que o frio chegar, procure uma oficina para higienizar esse sistema e evite o problema.

Sistema de arrefecimento

Dependendo da temperatura, o líquido de arrefecimento pode congelar, e isso vai prejudicar o funcionamento do motor, podendo trazer sérios danos. Sendo assim, é importante que o líquido esteja com a quantidade de aditivo indicado pela montadora do veículo. A substituição do fluido de arrefecimento deve ser feita regularmente no período recomendado pelo manual.

Alcazar, analista da Vibra, lembra que nas localidades mais ao sul do país, onde o frio é mais forte, há disponível lubrificantes com maior resistência a baixas temperaturas. Um sistema aditivado nas proporções corretas diminui o ponto de congelamento do líquido, evitando surpresas desagradáveis ao tentar colocar o veículo em funcionamento.

Seja em qualquer estação do ano, lembre-se sempre de adotar postos de confiança e de marcas conhecidas para não cair em golpes, como a bomba fraudada, a venda de gasolina adulterada e produtos misturados com solventes, e até mesmo metanol.

Caso desconfie que foi vítima de fraude, ligue para a Agência Nacional do Petróleo -ANP (telefone 0800-970-0267), ou para o Procon ou Inmetro de sua região. O site do ICL também possui uma seção voltada para facilitar a sua denúncia.

Leia também: