fbpx ‘Para o Brasil seguir em frente’, a nova campanha do Instituto Combustível Legal - Instituto Combustível Legal
Ações

‘Para o Brasil seguir em frente’, a nova campanha do Instituto Combustível Legal

Publicado em 11/12/2020 por Redação

“Para o Brasil seguir em frente” é a campanha de lançamento do Instituto Combustível Legal (ICL), que atua com foco direcionado para o combate ao comércio irregular ou atuações ilícitas que envolvam o setor de combustíveis no Brasil.

A assinatura mantém as mesmas bandeiras em prol da transparência e das boas práticas de governança entre os players do setor e tem ganhado desdobramentos em todas as redes e canais do Instituto Combustível Legal.

Combustível Legal: segurança para o Brasil seguir em frente
Assinatura principal da campanha remete ao benefício final gerado pelas ações do ICL. É desdobrada em três outras opções mais específicas, que vão ainda mais direto ao ponto em relação ao trabalho do instituto.

Combustível Legal: simplificar para o País seguir em frente
Essa opção é utilizada para falar sobre a questão da complexa estrutura tributária do setor de combustíveis. Remete a uma das principais bandeiras do ICL, a simplificação tributária como forma de prevenção de diversas irregularidades, para a melhoria do ambiente de negócios, atração de investimentos e crescimento do Brasil. Também é usada para caracterizar e combater a figura do Devedor Contumaz, que utiliza de práticas ilícitas para o não pagamento dos tributos e que, dessa forma, causa tantos prejuízos ao mercado e à sociedade.

Combustível Legal: fiscalizar para a sociedade seguir em frente
Acompanha conteúdos sobre parcerias e ações focadas na frente de fiscalização, especialmente quando é feita de forma unificada por meio das forças-tarefa. Essas peças remetem ao fato de que garantir o cumprimento da lei é benéfico para toda a sociedade.

Combustível Legal: prevenir para você seguir em frente
Essa variação é empregada em conteúdos voltados para conscientização do consumidor final. Remete à ideia de que “o barato sai caro” e que vale a pena se preocupar com a qualidade do combustível, fugindo de fraudes operacionais.