fbpx O curioso universo dos automóveis: confira 12 fatos interessantes sobre os carros - Instituto Combustível Legal
Motor

O curioso universo dos automóveis: confira 12 fatos interessantes sobre os carros

Publicado em 21/01/2022 por Marcellus Leitão

Você sabia que ao sair de casa com seu carro, você desloca aproximadamente três mil peças, ou, nos modelos mais equipados e sofisticados, cerca de 30 mil, ou até 70 mil componentes diferentes? Essa verdadeira “cangalha” de partes merece muita atenção, desde as centenas de parafusos e conectores até os sistemas ativos e passivos de segurança. Estes últimos, entre tantos outros, são fundamentais para sua sobrevivência em caso de acidente.

Além de tantas peças, sistemas e, claro, engenhosidade para interligar tudo isso e permitir que você se desloque de forma segura, o mundo automobilístico também traz algumas curiosidades que passam despercebidas, até mesmo, aos motoristas mais experientes. Separei aqui 12 fatos interessantes para que possamos começar 2022 mais antenados com os nossos queridinhos na garagem. Vamos a eles:

  1. A primeira curiosidade tem cara de dica e vai te fazer economizar: abastecer de manhã faz com que você coloque mais gasolina. Parece estranho, mas isso tem uma explicação na física. O calor provoca uma dilatação natural dos objetos, e com o combustível não é diferente. Sendo assim, com a temperatura mais amena do começo do dia, você terá um pouquinho a mais de produto no seu tanque.
  2. Você sabia que é o próprio combustível dentro do tanque que arrefece a bomba elétrica de combustível? Por isso, evite andar com o tanque quase vazio, pois isso pode causar um superaquecimento nessa peça, que é vital para o funcionamento do veículo.
  3. Essa é para quem anda de carro em dias ensolarados. Veículos pintados na cor preta, por exemplo, tendem a ser mais quentes quando expostos ao Sol do que os que possuem cor clara. A explicação também está na física, já que cores escuras absorvem mais luz, acumulando maior energia proveniente da radiação solar. Nesse caso, a demanda pelo ar-condicionado do carro será maior e, consequentemente, o consumo também.
  4. Ao contrário do que muitos podem pensar, quanto mais flexível é o monobloco (carroceria) de um veículo, maior é a sua capacidade de absorver a energia proveniente de uma colisão. Isso faz com que os passageiros sintam menos o impacto, pois a energia é dissipada na própria carroceria.
  5. Além da rigidez, o peso dos carros também foi atenuado por questões de segurança, já que menos massa, menor é a retenção de energia em um impacto. Os veículos de 50 anos atrás, por exemplo, tinham muito mais aço, eram mais pesados, mais robustos. Já os carros atuais, além de peças plásticas, são construídos com aços de vários tipos: nas áreas mais sensíveis, como colunas de portas, aços mais resistentes; em outras partes, mais leves.
  6. Nos carros modernos, fabricados no Brasil do final do século passado aos dias atuais, os motores, que antes eram longitudinais, passaram a ser transversais (perpendicular ao veículo) para um melhor aproveitamento de espaço na parte dianteira. Isso gerou também melhor distribuição de peso, maior estabilidade e possibilidade de designs frontais mais aerodinâmicos.
  7. Já parou para pensar que o tanque de combustível do seu carro é de plástico? Há vários motivos para isso: além de proporcionar mais leveza ao compartimento, o tornando também anticorrosivo, esse tipo de material é imune a rompimentos, ou geração de faísca, em caso de acidente.
  8. Falando em segurança, um fato interessante é que os faróis dos carros modernos proporcionam menos riscos de ferimentos em casos de atropelamento. Isso porque o vidro deu lugar ao policarbonato, material que evita cortes e lesões sérias nesse tipo de acidente.
  9. Conhece a expressão “pneu quadrado”? Pode parecer estranho, mas é o que acontece com o pneu de um carro quando ele fica parado por muito tempo no mesmo lugar. Devido ao peso, o pneu pode ficar deformado. Nessas situações de hibernação, o ideal é movimentar o veículo a cada 15 dias para que a área de contato do pneu com o chão mude de posição.
  10. Outra curiosidade de utilidade: o melhor horário para calibrar os pneus é de manhã cedo, antes da dilatação do ar que há dentro dele. Pneus calibrados (de preferência, uma vez por semana) tornam o carro mais equilibrado e apoia o consumo calculado pela fábrica.
  11. E a sigla TWI? Já ouviu falar nela? Essas três letras se referem a Tread Wear Indicator, ou melhor, indicador de desgaste do pneu. O TWI fica estampado nos ombros do pneu e demarca onde estão localizados os ressaltos de borracha que ficam nos sulcos da banda de rodagem. Com 1,6 mm de altura, esses ressaltos, quando atingidos, indicam a hora da substituição. Ou seja, nesse ponto de desgaste, seu carro não vence mais as lâminas d’água, podendo aquaplanar, além do que não passa pela inspeção policial, ou do órgão de trânsito.
  12. Nosso último item é mais uma dica do que um fato curioso em si: ao abastecer, não exagere tentando encher o tanque até a boca. Abastecendo acima do limite, que é marcado pelo clique da bomba do posto, você danifica o cânister, um filtro de carvão ativado cujo objetivo é absorver os vapores de combustível formados no tanque, os devolvendo ao motor do veículo.

Espero que tenha gostado desses fatos curiosos que fazem parte do nosso vasto universo automobilístico. Para 2022, lhe desejo três palavrinhas que fazem toda a diferença no cuidado com os nossos queridos veículos: olhe, confira, fuce! Tenha em mente que sendo curioso com o seu carro, você o fará funcionar cada vez melhor. Aproveite bem este novo ano, abastecendo em postos de confiança, e evite cair na cilada dos preços baixos.

Se encontrar qualquer problema ao abastecer, não hesite em denunciar!

Até a próxima!

Marcellus Leitão é jornalista especializado em automóveis, já tendo passado por importantes veículos da imprensa nacional.

Leia também: