fbpx Como checar o consumo de combustível? Confira dicas para monitorar o rendimento e evitar hábitos que aumentam o gasto do veículo - Instituto Combustível Legal
Motor

Como checar o consumo de combustível? Confira dicas para monitorar o rendimento e evitar hábitos que aumentam o gasto do veículo

Publicado em 04/02/2022 por Jean Souza

Calcular o consumo de combustível tem segredo? Em princípio, não! Isso é uma tarefa bem fácil, que dá pra fazer na ponta do lápis ou na calculadora. Mas, quando o assunto é controlar o consumo mensal, ou saber se a manutenção do carro e a forma de dirigir estão influenciando o rendimento, algumas dicas podem ser bem úteis.

Para falar sobre esse assunto, o Instituto Combustível Legal (ICL) ouviu algumas dicas de um expert do setor, o engenheiro e coordenador técnico de combustíveis da Raízen, Gilberto Pose. Confira!

Como monitorar o consumo por quilômetro?

Ao calcular o consumo médio de um automóvel, o objetivo é descobrir quantos quilômetros esse veículo é capaz de percorrer utilizando apenas um litro de combustível. Conhecendo esse valor, é possível predizer quantos litros serão gastos, por exemplo, em uma viagem.

Vamos à prática: para medir o consumo, pare no seu posto de confiança e peça para encher todo o tanque. A partir daí, zere o odômetro do seu veículo (ou anote a quilometragem) e rode com ele. No próximo abastecimento, encha totalmente o tanque de novo e conte quantos litros deu. Agora, cheque no odômetro a quilometragem percorrida desde o último abastecimento e divida pelo número de litros abastecido.

O resultado do consumo médio pode ser escrito fazendo a seguinte divisão:

CM = S ÷ v

CM = consumo médio;

S = distância percorrida em quilômetros;

v = quantidade de combustível utilizada em litros.

“O cálculo é simples, é fazer regrinha de três. Se meu carro faz 10km por litro e quero percorrer 100km, quanto vou precisar? Dez litros”, afirma Pose.

Mas e nos casos em que os computadores de bordo já sinalizam algumas informações? “O painel mostra o consumo instantâneo, o que está sendo registrado na hora em que o carro está andando”, diz. “É um consumo que o computador de bordo calcula em função da rotação do motor, além de uma série de coisas”, explica o engenheiro.

É certo que nem todo mundo tem tempo ou interesse em registrar dados do consumo e Pose reconhece que o hábito, que ele mesmo desenvolveu há alguns anos, é uma exceção. Ele cria planilhas no computador para controlar rigorosamente dados como: quilometragem inicial e final de cada abastecimento, km rodado por período, volume abastecido, km por litro e até os nomes dos postos por onde passou.

“Toda vez que vou ao posto, encho o tanque do carro, pego a quilometragem que abasteci, o volume abastecido e o preço, só pra ter um controle meu. Minha planilha tem dois gráficos: um de consumo e um de custo por Km”, conta.

O consumo do carro pode variar, mesmo quando o condutor não muda de caminho?

“Tem consumidor que fala assim: faço todo dia o mesmo trajeto, por que o consumo do meu carro não é igual?”, comenta. Segundo o especialista, vários detalhes podem influenciar o rendimento final do carro. O número de semáforos abertos ou fechados que um motorista pega no mesmo trajeto diário, por exemplo. “O motoboy cortou a frente e ele teve que brecar o carro, começar a andar tudo de novo. Isso influencia”, explica.

Como dirigir melhor e consumir menos?

Segundo o engenheiro, um truque pode ajudar a exigir menos do motor, principalmente em lugares mais estáveis, como grandes avenidas. “Saia em primeira marcha, depois engate a terceira e a quinta”. Ou da segunda para a quarta. Sempre pule uma marcha, porque quando você pula uma marcha, trabalha com rotações mais baixas e isso impacta [positivamente]”, explica.

Ter pneus calibrados e manutenção em dia também é fundamental. Se o carro ainda está na garantia, ele aconselha a visita à concessionária para fazer as revisões recomendadas pela montadora. Mas, se já saiu da garantia, é importante visitar uma oficina mecânica de confiança.

Outra dica é fazer a troca de filtro de ar, velas e outros componentes, de acordo com os prazos do manual do carro. “Tem gente que só faz manutenção na véspera de fazer uma viagem”, alerta o engenheiro.

“Se você dirige de forma agressiva, com acelerações muito altas e freadas bruscas, isso impacta no seu consumo, mas se dirige de uma maneira segura, atenta aos movimentos do trânsito, pode prever que ali na frente alguém vai parar. Então já reduza a marcha, não precisa acelerar e brecar em cima”, recomenda Pose.

Ele também afirma que, ao trocar de combustível, é importante manter alguns abastecimentos com o mesmo produto. Por exemplo, rodar com quatro tanques usando etanol e só depois trocar para gasolina, em vez de ficar alternando entre um e outro.

De olho no posto!

Cuidar da direção e controlar o consumo são tarefas importantes, mas lembre-se de prestar atenção ao local de abastecimento. O posto é desconhecido, tem preço muito abaixo da média ou promoções suspeitas? Pode ser cilada. Por isso, confira cinco erros básicos a serem evitados na hora de abastecer.

E se ao abastecer, você achar que sofreu algum golpe na qualidade ou quantidade do combustível, ou que o posto é pirata e está utilizando a comunicação visual de outras marcas de forma indevida, lembre-se sempre de que é possível denunciar o estabelecimento e exercer sua cidadania. Além da denúncia, você pode abrir processo para obter ressarcimento dos danos causados ao veículo e ao bolso.

O site do Instituto Combustível Legal também possui uma seção voltada para facilitar a sua denúncia. Basta colocar a sua região e o tipo de fraude do qual foi vítima para ter acesso aos órgãos de fiscalização competentes e fazer a sua reclamação.

Mitos e verdades sobre a gasolina aditivada, com Gilberto Pose

 

Leia também:

* Contém informações da matéria Consumo de Combustível de um automóvel, do site Brasil Escola