fbpx Desafios do mercado de combustíveis foi um dos destaques do Interforensics, um dos maiores eventos de Ciências Forenses do mundo - Instituto Combustível Legal
Ações - Apoio - Eventos

Desafios do mercado de combustíveis foi um dos destaques do Interforensics, um dos maiores eventos de Ciências Forenses do mundo

Publicado em 05/11/2021 por Alessandra de Paula

O Instituto Combustível Combustível (ICL) esteve presente no Interforensics, um dos maiores eventos de Ciências Forenses do mundo e o maior da América Latina. O evento é promovido pela Academia Brasileira de Ciências Forenses (ABCF), com apoio da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), da Polícia Científica do Paraná e da Secretaria da Segurança Pública. Antonio Rocha, diretor do ICL, foi um dos palestrantes na quinta-feira (03/11), abordando os desafios no mercado de combustíveis:

”Destacamos as ferramentas existentes e a necessidade de fazer uma integração mais eficaz para efeitos de produção de provas para a justiça, com o objetivo de responsabilizar quem adultera, faz misturas fora da conformidade estabelecida pela ANP”, ressaltou.

Para Rocha, é necessário ter uma uniformidade no conhecimento nos laboratórios credenciados, nos procedimentos de coleta, para que se atinja maior eficiência no sistema de perícia de combustíveis.

Ele destacou, ainda, a importância do trabalho realizado pelo Instituto Combustível Legal: “O ICL realiza um trabalho fundamental ao reunir conhecimento disperso na área de fiscalização de combustíveis, eliminando uma concorrência desleal no mercado, trabalhando para identificar problemas de adulteração de combustíveis, sonegação de tributos. Só a sonegação representa uma diferença bilionária para as contas públicas federais e estaduais. O que temos de diferente é a que a gente consegue integrar órgãos de vários setores, juntar informações e ter evidências”, afirmou Rocha.

O diretor apontou também algo importante: O crime está sempre organizado, e o combate a ele tem que se organizar também:

“O importante é ser não só reativo, mas preditivo nos mecanismos de controle desse mercado, se antecipar. Estamos montando uma estrutura de acompanhamento, nesse novo formato do ICL, e vamos sair do reativo para o preditivo, ter mecanismos para evitar delitos, fraudes, um planejamento robusto, com bases reais”, destacou.

 Leia também: