fbpx Fuja de combustível batizado: oito dicas importantes na hora de abastecer o seu veículo - Instituto Combustível Legal
Comércio Irregular

Fuja de combustível batizado: oito dicas importantes na hora de abastecer o seu veículo

Publicado em 09/10/2020 por Andre Lunes

Combustível adulterado, bomba fraudada… o consumidor, infelizmente, corre o risco de enfrentar esses problemas na hora de abastecer o carro. Por isso, é importante encher o tanque em postos de confiança e, claro, não custa nada anotar algumas dicas importantes para não cair em golpe e continuar dirigindo tranquilo. Confira a seguir:

1 – Não caia em promoções mirabolantes

Conhece o ditado “o barato sai caro”? Ele se encaixa, e muito bem, quando o assunto é preço dos combustíveis. Não ceda à tentação das promoções mirabolantes, com preços muito fora da realidade. Desconfie também quando o posto pratica o mesmo valor tanto para a gasolina normal, quanto para a aditivada.

Lembre-se de que o combustível adulterado pode causar diversos problemas ao veículo, incluindo o aumento do consumo e de emissões, formação de depósitos no motor, contaminação do óleo lubrificante, degradação do sistema do catalisador, carbonização das velas de ignição e entupimento de bicos injetores, entre outros. Veja no vídeo abaixo.

Combustível adulterado: quais prejuízos no seu carro? Por Marcellus Leitão

2 – Exija a nota fiscal

Vai encher o tanque? Solicite a nota fiscal sempre, pois é o comprovante do seu abastecimento, e o posto é obrigado a fornecê-la. A emissão da nota também contribui no combate aos crimes de sonegação. O mercado de combustíveis enfrenta graves problemas de sonegação de tributos: são mais de R$ 7,2 bilhões que deixam de ser pagos por ano, de acordo com estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgado em 2019.

Esse valor poderia ser usado em prol da sociedade, para Saúde, Educação e Segurança Pública. Mesmo na pandemia, é importante solicitar o cupom fiscal, e saiba que muitos estados dão benefícios para quem exige a nota. Além disso, esse documento é um importante instrumento para realizar sua denúncia (aproveite e conheça a seção Denuncie do site do Instituto Combustível Legal).

3 – Utilize postos de confiança

Na hora de abastecer, é fundamental optar por postos de confiança. Mas como saber se o combustível que estão colocando em nosso veículo é realmente de qualidade? Se o posto não possui marca que você conhece, pesquise bem antes de abastecer e não se baseie somente pelo preço. Saiba que empresas reconhecidas do mercado presam pelos processos e controle de qualidade, realizando um monitoramento rigoroso dos produtos que comercializam. Saiba mais aqui.

4 – De olho no fornecedor do combustível

É sempre importante ficar atento à empresa que fornece o combustível ao posto. No caso dos postos de bandeira branca, que não possuem uma distribuidora exclusiva, por exemplo, o estabelecimento deve informar em cada bomba qual empresa forneceu o produto. Além disso, o número do CNPJ, razão social e endereço do posto também devem estar visíveis ao consumidor. Caso essas informações não estejam disponíveis, você pode denunciar junto ao Procon de sua região, ou utilizar a ferramenta Denuncie do Instituto Combustível Legal, que o ajudará a encontrar o órgão competente.

5 – Desconfiou? Exija o teste no posto

Solicitar o teste do combustível no posto é um direito do consumidor. Então, faça-o valer! No caso da gasolina, o teste da proveta permite saber se esse combustível tem, realmente, os 27% de etanol obrigatórios por lei. Se achar que entrou menos combustível no tanque do que você pagou, um teste de vazão pode ser solicitado. Nesse caso, é usado um recipiente com medida padrão de 20 litros aferido e lacrado pelo Inmetro. Como resultado, poderá haver variação máxima de 100 ml para mais, ou 60 ml para menos. E no caso da nova gasolina em especial, pode ser solicitado o teste do densímetro e o combustível deve estar com densidade superior a 715 mg.

Como funciona o teste que identifica o percentual de etanol na gasolina?

6 – Cuidado com os postos piratas

Conhece a expressão “não compre gato por lebre”? Isso é o que acontece quando o consumidor é enganado ao entrar em um posto pirata, que parece uma coisa, mas, na realidade, não é. O posto pirata, ou clone, como também é conhecido, é aquele estabelecimento que adota cores, padronização de fachada e até mesmo uniformes dos frentistas, além de outros itens de comunicação visual, para parecer com postos de outras marcas de credibilidade do público. A grande diferença está justamente no combustível, que em nada parece com o que é vendido no seu posto de confiança. Sendo assim, ao abastecer, preste bem atenção à manifestação visual do posto para não ser enganado.

7 – Fique atento ao abastecimento

Parece simples, mas muitas pessoas não se atentam ao marcador da bomba assim que se inicia o abastecimento. É sempre bom verificar se ele está zerado e o tipo de combustível que está sendo colocado no seu veículo. Agora, no caso do etanol, se o consumidor quiser checar a sua qualidade, é preciso prestar atenção a um equipamento que fica acoplado à bomba. É o chamado densímetro, um aparato que fica flutuando dentro de uma ampulheta. Preste atenção se durante o abastecimento o equipamento se mexe, sinal de que o combustível está passando por ele na hora do abastecimento. Se a coluna vermelha do densímetro estiver acima do nível do líquido, o etanol tem problemas. Nesse caso, vamos para próxima dica, que é denunciar.

8 – Desconfiou? Denuncie!

Caso tenha sido enganado na hora de abastecer, saiba que é o seu direito reclamar. E isso pode ser feito por meio de denúncia aos órgãos competentes. Pensando em ajudar o consumidor, o Instituto Combustível Legal criou uma nova ferramenta, chamada Denuncie, que facilita encontrar na sua região o órgão competente para a denúncia que deseja realizar. Acesse e escolha o tipo de irregularidade que foi vítima, ou presenciou, e faça valer os seus direitos. Você, consumidor, pode contribuir para um mercado mais justo e honesto para todos.

Caso perceba alguma irregularidade ao abastecer, denuncie junto à ANP pelo site www.anp.gov.br/faleconosco, ou pelo telefone 0800 970 0267. Você também pode acessar a seção Denuncie do Instituto Combustível Legal. 

Leia também: